29.12.07
Estava no duche, cuidando do meu hemorroidal, exatamente da forma que o ginecologista me aconselhou aí em Lisboa, isto é: cuidadosamente, quando me ocorreram três idéias para um post, não me perguntem se exatamente na ordem. Garanto que esse pormenor não tem a menor importância. E façam por esquecer o hemorroidal, uma manobra com vista à obtenção de links de gajos tarados.
Então já lá no reino das idéias,completamente debaixo de àgua, ocorreu-me a cena das almas gêmeas e onde é que elas se postam e onde e como aparecem e o raio que as parta, logo seguida da constatação lugar comum, óbvia e esquerdista da merda, de que a praia é o lugar mais democrático do Rio de Janeiro. E infelizmente é.

Sobre as almas gêmeas eu odeio a minha já viram, se bem que ontem, após o bundólogo ter vindo amoroso, num pulinho a casa buscar dois vodkas tónicos trinta minutos antes do sol se pôr atrás dos dois irmãos, numa palete de tons que agradaria a Turner, se bem que ontem, eu ia dizendo, ela quase me ter parecido uma alminha boa.
Por certo a altura do ano e o calor de quarenta graus amoleciam minha mente, (vejam que até dropo o Turner) meus olhos, meu corpo aparvalhado da cabeça aos pés. Mas sim, achei-a uma alminha boa e lembrei-me de quando ela me fazia vir, lapsus linguae, rir.

Agora a praia. A praia também é um romance giro do Alex Garland, isso lembra a Tailândia e se quisesse divagaria, mas ainda não tomei nem uminha, incapaz, tão longe fica a Tailândia, há um hotel em Bangkok e outro em Pucket e sim e pois. Not my beach, in english ou em português, não vamos por aí que essa não é a minha praia.
A minha praia é a do Leblon, frente à barraca do Panela, copos de plástico no chão, cocos, velas com pedidos a Iemanjá, todos os moradores da Cruzada São Sebastião, alguns do Vidigal, Luana Piovani, Dado Dollabela. Não é uma praia fácil. Principalmente num Domingo de Verão, mas é a minha e quando não estou para Caiçaras, misturo-me que é pra não ser parva. Na juventude ouvi o Sérgio Godinho e fui duas vezes à festa do Avante.

O processo criativo nesta casa (odeio quando os bloggers se referem assim ao blogue e a si, odeio ser considerada uma blogger, mas ao mesmo tempo talvez seja engraçado passar a preencher papelada assim: Blogger-Do Lar) é deprimente.

Quatro blogs que eu gosto e tiveram a lata de vir dizer que gostam deste blog cujo assunto é sempre de ir ao cu, ai desculpem, hemorroidal: Pedro Rolo Duarte, Destaques a Amarelo, Berra-Boi, Nuno Miguel Guedes. Eu sabia que tinham bom gosto.


por Mónica Marques às 11:49

Para Interromper o Amor
Transa Atlântica

Nas livrarias
O Inferno são os outros
Correio
folhassoltas@gmail.com
Chelsea Hotel
Freud explica
Technorati Profile
subscrever feeds