28.11.07
Então cá ando. No outro dia a pensar em ti cheguei à conclusão que ao contrário do que dizes, vou muito mais ter contigo, saber de ti, do que tu vens ter comigo, saber de mim. Já sei que não vais concordar, mas também não faz mal, que nunca gostámos dos mesmos livros. Não sei se estás a par mas o Pedro Mexia linkou-me e isto foi prá qui um reboliço, quase se me estragou tudo. Não conseguia abrir o mail do google, sim meu querido, dois ou três a descomporem-me e assim uma cagada. Já não bastava o meu pai e os amigos de meu pai a lerem, mais aguentar com os admiradores do Mexia, indignados com as minhas coisas e a chamarem-me nomes, sei lá. Fiquei a pensar se ele não seria uma pessoa muito sozinha porque ninguém lhe pode dizer nada, nem ele a ninguém que vinham logo todos atrás. Depois, para apaziguar, lembrei-me de publicar uma foto minha no blog, aquela em que dizes que estou especialmente parecida com a Adília Lopes. Mas depois pensei, que merda tás louca, isto ainda não é um Luna Parque e portanto é deixá-los rabiar. Tenho muitas saudades tuas. Leio muito o Rubem Fonseca, sublinho frases inteiras que pretendo usar depois, como se fossem minhas. Também gostava de estar aí a passar o Natal. Comer Rabanadas debaixo de um sol de 40 graus, tu sabes, só mesmo para fazer pirraça a amigos como tu e depois contar como é lindo passar o dia 24 até à hora da ceia, a torrar na praia.


por Mónica Marques às 14:02

Para Interromper o Amor
Transa Atlântica

Nas livrarias
O Inferno são os outros
Correio
folhassoltas@gmail.com
Chelsea Hotel
Freud explica
Technorati Profile
subscrever feeds