25.08.09

Há uma música da Marina Lima, Virgem. Eu gosto muito da Marina Lima, fui ver um show dela no ano passado e não consegui ficar sentada um minuto, era numa sala pequeníssima e foi uma coisa especial. Tenho o começo do livro na cabeça e não quero começar. Uma vez o Miguel Gullander, daquele jeito tão peculiar que ele tem, perguntou-me se eu tinha chorado enquanto escrevia o outro, que isso - chorar - lhe acontecia  muito quando escrevia e que só assim ele sabia que estava no caminho certo. Não lhe respondi, acho que até disfarcei, tenho-me tornado boa nisso. Ia ficar esquisito, os dois de copo na mão, encostados à ombreira da porta  de uma casa no Estoril, ele bebia cerveja e eu vinho branco, se começasse a pensar naquilo que ele me perguntava ia ser difícil manter o bom humor o resto do jantar. Mas agora aqui, do outro lado do mar, posso dizer que sim, que cansei de chorar. É, o tempo aqui tem estado merdoso e a Marina Lima é irmã do poeta Antônio Cícero e quem vai fazer Bruna Surfistinha no cinema é a Deborah Secco. Acho-a gira, sim.



por Mónica Marques às 11:09

Para Interromper o Amor
Transa Atlântica

Nas livrarias
O Inferno são os outros
Correio
folhassoltas@gmail.com
Chelsea Hotel
Freud explica
Technorati Profile
subscrever feeds