7.12.09

 Gosto de fumar um cigarro e comer chocolate. Gosto de comer uvas e comer chocolate de beber vinho e comer chocolate. Gosto de pessoas que gostam de chocolate e desconfio de quem não come chocolate.

Quando estou a escrever tenho sempre chocolate ao pé. A minha avó dava-me guarda-chuvas de chocolate Regina nos almoços de Domingo e também me intoxiquei de histórias de amor, ciúme e traição fumando desesperadamente cigarros de chocolate que de tanto sofrimento inventado se desfaziam com a prata- o sabor da prata do chocolate misturada com o próprio chocolate, é coisa que só os chocólatras conhecem -  na minha boca.

Para entender o Conceito de Angústia, de Soren Kierkegaard precisei de duas tabletes inteiras de chocolate Cote D´Or com amêndoas caramelizadas. Mas tornei-me numa pessoa melhor e nunca mais quis saber do chato do Hegel.

Chocolate não engorda, chocolate dá vontade, chocolate dá muita vontade, chocolate e café, chocolate e um late harvest e um cobertor. Pode ser no chão. Pode ser sozinha com o Woody Allen no DVD, ou com o Josh Rouse no Ipod. A gente vai vivendo e vai experimentando. Mas, neste momento, é melhor se for contigo. Pode ser no avião depois de três gins tónicos e da refeição de massa de plástico quando estamos a entrar numa área de turbulência e aquilo tudo começa a abanar como se fosse uma casca de noz e nos lembramos subitamente como somos insignificantes. Muito bom chocolate nessa altura.  Também a ouvir Kings of Convenience.

E lembras-te da cara da Juliette Binoche no Chocolat? A Binoche é chocólatra. Só pode. O meu plano é continuar a comer chocolate à bruta para ver se fico como ela. Acho que a Manuela Ferreira Leite precisa comer mais chocolate. E o Cavaco. O Sócrates tem ar de quem come chocolate, mas só Toblerone, que é muito duro de partir. O Lula é mais bombons com recheio de pinga, de Minas Gerais.

A Oprah come chocolate. O Obama também e o Madoff.  E todos os presidentes corruptos de países africanos. Mas esses só comem chocolates Godiva, que são a pepineira do mundo dos chocolates.

O meu amor come muito chocolate. E por isso dá os melhores beijos do mundo.  Mas ninguém lhe ensinou, era só o que faltava. É do chocolate.

Entre os beijos do meu amor e o chocolate, venha o Diabo e escolha. O Diabo também é chocólatra. Deus Nosso Senhor é que não. Já a Maria Madalena, pois. 

E o  Garfield? O Garfield, apesar de ser gato e todos gatos serem uns chatos é esperto e entope-se de chocolate porque é ruivo e é giro. Como é que ele diz?  Quando tudo corre mal, há sempre o chocolate”. Nunca pensei em concordar com um gato.

 

 

 



por Mónica Marques às 19:12

Para Interromper o Amor
Transa Atlântica

Nas livrarias
O Inferno são os outros
Correio
folhassoltas@gmail.com
Chelsea Hotel
Freud explica
Technorati Profile
subscrever feeds