27.02.10

Não como nada de jeito vai para uns dias. Salto refeições em barda, cheguei a Lisboa e não fui ao supermercado uma única vez. Aqui ao lado tenho uma garrafa de àgua da floresta dos Estados Unidos e um pacote de cream crakers da triunfo. Mentira que fui ao Papaçorda levar pancada dos empregados de mesa. Apetece-me mentir. A minha capacidade de concentração desceu a níveis nunca antes vistos. Limito-me a anotar, anotar, anotar, frases em vários cadernos que depois desaparecem - e quando não desaparecem, não os percebo - a substituir a minha biblioteca do itunes por outra para ficar mais perto de um músculo coração. Depois direi que é pesquisa para um personagem. Penso sobre mãos, pés e olhos e também sobre tudo isso misturado.. Admiro-me por adorar jogar dados e tenho a certeza de que vou acabar a gostar de Ludo. Reflito, como posso, sobre as palavras: respeito, admiração, cuidado, amor e ódio. Leio transversalmente os jornais como o José Rentes de Carvalho me lê transversalmente a mim. Então investigadores andam preocupados connosco e acreditam que a oxitocina inalada resolverá os nossos problemas e os dos outros todos. Mas os outros todos não me interessam nada. Aviso-te que vou mudar de Boss Orange para Liquid Trust. Googla. Googla-me. Faz qualquer coisa.



por Mónica Marques às 13:46

Para Interromper o Amor
Transa Atlântica

Nas livrarias
O Inferno são os outros
Correio
folhassoltas@gmail.com
Chelsea Hotel
Freud explica
Technorati Profile
subscrever feeds