11.08.10

 

 

Foi então que por andar eu assim cheia de pensamentos fofos pedi à minha Mãe de Santo que me preparasse um Banho. Mãe Bia chegou ontem cá em casa munida de ervas (logo me pediu o dinheiro para pagar ao herbário) que me desviassem a mente dos ombros da Lindsayzinha; das caras e bocas de lolita de uma amiga minha que não sabe como eu ando e por isso está bastante mais à vontade comigo do que deveria estar ( qualquer dia agarro-a  e faço coisas que vejo no L Word, quando estou a fingir que não estou a ver o L Word); das maminhas da mulher do Buffon; da barriga da mulher do Buffon; das pernas da mulher do Buffon. Esta senhora aqui em cima, cheia de sede, é a mulher do Buffon, não sei se já tinham tido a oportunidade. Aqui fica. Agora basta de olhar, agora tenho é que tomar rapidamente o meu banho Pára-Raio cheio de erva-doce e esperar que faça efeito... Mas a Alena está com tanta sede, coitadinha e a garrafa de água parece vazia.

Mónica Maria, tens quarenta anos, não há nada em casa, vai comprar tomates, ler livros do Salman Rushdie. Tomates, muitos tomates, tomates são bons e cheios de vitaminas. Mas olhem ela, cheia de sede... E porque não aperta ela aquelas fitinhas do biquini?



por Mónica Marques às 11:40

Para Interromper o Amor
Transa Atlântica

Nas livrarias
O Inferno são os outros
Correio
folhassoltas@gmail.com
Chelsea Hotel
Freud explica
Technorati Profile
subscrever feeds