3.12.10

Em Julho de 1981 fui passar como habitualmente 15 dias com os meus avós, em São João do Estoril. A rotina era esta: Acordar pelas nove da manhã, comprar Bolas de Berlim na Praceta para levar para a Praia da Poça e seguir para a praia de carro. O meu avô deixáva-nos na esplanada, sempre na mesma mesa e seguia para estacionar, sempre no mesmo lugar - uma rua estreita, à sombra e também sempre à distância de um dedo da parede rochosa daquela casa. Ficávamos na praia até ao meio dia, para eu não apanhar demasiado sol nos ombros. Brincava e namorava o Nuno sob os olhares da minha avó Luísa sentada na esplanada, ao lado do avô, que fazia as palavras cruzadas do Correio da Manhã com umas letras lindas. Sem dúvida por causa da sua caneta Cross dourada, que hoje está comigo. Às vezes eu e o Nuno também ficávamos a ver a Teresinha fazer Body Board quando ainda ninguém fazia Body Board. Voltávamos para casa ao meio-dia. O avô na frente, a avó de mãos dadas comigo. Almoçávamos uma coisa leve que a Isabel tinha feito - eu adorava os rissóis de camarão com arroz de tomate - ouvíamos os Parodiantes de Lisboa e as persianas estavam sempre semi-fechadas para a casa estar fresca. No fim do almoço tinha que ir dormir a sesta e achava que não havia razão nenhuma para aquilo porque já era crescida, tinha onze anos.

por Mónica Marques às 11:59

Para Interromper o Amor
Transa Atlântica

Nas livrarias
O Inferno são os outros
Correio
folhassoltas@gmail.com
Chelsea Hotel
Freud explica
Technorati Profile
subscrever feeds