12.06.07
"O lulismo esvazia a nossa indignação, nossa vontade de crítica, de oposição. Para ser contra o quê, se ele é "a favor" de tudo? Há uma calma no Lula que nos anestesia. Há uma normalidade no ar que inquieta, sinistra como o prenúncio de tempestade, que virá para o próximo governante. Lula não erra porque não faz nada. (...)
Nada o comove, só se comove consigo mesmo, com a própria origem operária. Aí chora.

Lula desmoralizou os escândalos, vulgarizou as alianças, subverteu tudo, inclusive a subversão. Os comunas xingam-no "na moita" pois estão todos bem empregadinhos.(...)

Mas tudo isso ele faz com seus sorrisos de covinhas, com sua imensa simpatia."


Do mestre Arnaldo Jabor, no Globo, hoje.



por Mónica Marques às 10:12

Para Interromper o Amor
Transa Atlântica

Nas livrarias
O Inferno são os outros
Correio
folhassoltas@gmail.com
Chelsea Hotel
Freud explica
Technorati Profile
subscrever feeds