11.08.08

NA SEXTA-FEIRA ÀS QUATRO DA TARDE estava metida debaixo de um edredon na minha cama, tentando desesperadamente descansar. Muito cansada, mas muito excitada também, quase me senti mal, do tipo bofes a sair pela boca. Tomei um comprimido de novalgina e a metade do outro obrigatório e ao fim de meia hora, dormi. Fiz a respiração preventiva que costumo usar dentro do Airbus para me acalmar. Não me fui depilar porque simplesmente não me conseguia mexer. Pensei, não há-de ser nada, o homem tem-me aturado neste estado, como um herói, prometo que de segunda não passa (não passou). O amor de todos os dias é uma coisa difícil e nós temos prática. Então subornei-o com a Playboy da Carol Castro e disse-lhe: Vá toma o corpo dela e aproveita a minha cabecinha. Além de tudo os dois gostamos demais do Elevador Lacerda.

adenda: obrigada Miguel.


por Mónica Marques às 11:16

Para Interromper o Amor
Transa Atlântica

Nas livrarias
O Inferno são os outros
Correio
folhassoltas@gmail.com
Chelsea Hotel
Freud explica
Technorati Profile
subscrever feeds