Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

um blog da diáspora blasée

Aeroportos

Junho 19, 2007



Claro que não chegava lá. Ouvi esta música no blog da Bomba-Inteligente, que malcriadamente não vou linkar. Ela não se importará e eu gosto de ficar sozinha.Principalmente em aeroportos.

Esta posta é para ti, meu parvo

Junho 19, 2007

Zonas de turbulência a atravessar, só para te ver, são praí umas quatro ou cinco num vôo de nove horas, cabrão, que não tens outro nome.
Por cima da Bahia é sempre uma desgraça, fecho os olhos, conto até mil, mais duas horas até ao inferno do Equador, merda, com todos dentro do Airbus A 340, o caraças, sei tudo sobre os monstros onde me meto, e sobre os comissários que no meio da minha insanidade, insistem em fazer o seu trabalho, para que te chegue inteira ás mãos.
O que quero comer? Nada. O que quero tomar? Nada, deixem-me em paz! Os senhores devem mas é ser malucos, fazer vida assim, dentro deste tubo.
Olhe lá, espere aííí, não se vá já embora, não acha que a asa não está bem?Repare no parafuso lá do fundo, parece um bocado solto. Por amor de Deus, faça qualquer coisa!
Estas crianças?
Estas crianças não são minhas, sei lá o que estão a fazer, tome conta delas.
Eu preciso é de ser acalmada pelo comandante.
Por favor, não acha que me fazia bem ir ao cockpit?
Não posso? Não deixam? Mas acha-me com aspecto de quê?
E tu?, Tira-me deste suplício. Onde estás agora, meu parvo, amigo da onça. No mínimo devias estar a olhar bem para o teu lindo relógio de óptimo gosto e a contar, a contar bem, todos os segundos, minutos, horas, que vais levar para me ver outra vez. Foi para isso que to dei. Para que quando te cansasses de não me ver, de não me chatear, de não me abraçar, de não teres ninguém, absolutamente mais ninguém a quem dizer as merdas bruto-carinhosas que gostas de me chamar, na tua inesquecível verborreia jurídica, tenhas a certeza de que está na hora de me voltares a ver.
(Liga a música aqui ao lado, clica em cima daquilo se fazes favor.)
(Esta é uma posta repetida, mas não é, agora tem música.)


As Sogras

Junho 17, 2007

Dez e tal da manhã, toca o telefone aqui no Rio, a minha sogra:

Está lá, Mónica?
Sim.
Olhe é só para dizer que o seu filho, ai desculpe, que o seu marido não embarcou.

Os Aviões

Junho 17, 2007

Quando a altura se aproxima começa a terapia: Tenho muito menos medo de andar de avião quando viajo em executiva, do que quando vou em turística.

As Mulheres

Junho 17, 2007

Não consigo emitir qualquer juízo sobre isto. Mas acho que não conseguiria conviver com uma mulher ruiva na minha casa.

Julianne Moore, Short Cuts, Robert Altman.

Os Homens

Junho 17, 2007



"Olhe, não vou falar de García Márquez. Não aceito perguntas sobre García Márquez."
Mário Vargas Llosa. No Rio, sobre o ex-amigo com quem cortou relações há 30 anos.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Para Interromper o Amor

Correio

folhassoltas@gmail.com

Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2006
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D